Rio Claro tem 3.424 casos de coronavírus

Até o momento 2.866 pacientes se recuperaram da Covid-19.

Rio Claro somou 44 casos positivos de coronavírus no domingo (16), conforme boletim divulgado pela Secretaria de Saúde. Agora o município contabiliza 3.424 casos da Covid-19. Dos novos casos, quatro estão hospitalizados e 40 em isolamento domiciliar.

O número total de internados, incluindo casos suspeitos, é 80, sendo que 39 pacientes estão em leitos públicos e 41 em leitos particulares. Há 30 pessoas em UTI, com 21 delas sendo atendidas no Sistema Único de Saúde (SUS) e nove na rede privada.

O município tem 96 óbitos confirmados por coronavírus. Até o momento, em Rio Claro, 2.866 já se recuperaram da doença.

Rio Claro tem 96 óbitos por Covid-19 e 3.380 casos positivos

Número de internados é 72,sendo 29 em UTI.

Rio Claro confirmou no sábado (15) o óbito de uma idosa que estava hospitalizada, vítima de coronavírus. Agora são 96 mortes provocadas pela Covid-19 em Rio Claro. Conforme boletim divulgado pela Secretaria de Saúde, o município somou mais 11 casos positivos, totalizando 3.380 casos. 

O município tem 72 pessoas hospitalizadas por coronavírus, incluindo casos suspeitos, sendo 38 no Sistema Único de Saúde e 34 na rede particular. Há 29 pessoas sendo atendidas em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com 20 pacientes no SUS e nove em leitos particulares. 

Até o momento, em Rio Claro, 2.799 pessoas se recuperaram da Covid-19.

Rio Claro tem 3.369 casos de coronavírus

Até o momento 2.741 pacientes se recuperaram da Covid-19.

Rio Claro somou 23 casos positivos de coronavírus na sexta-feira (14), conforme boletim divulgado pela Secretaria de Saúde. Agora o município contabiliza 3.369 casos da Covid-19. Dos novos casos, dois estão hospitalizados e 21 em isolamento domiciliar.

O número total de internados, incluindo casos suspeitos, é 74, sendo que 38 pacientes estão em leitos públicos e 36 em leitos particulares. Há 29 pessoas em UTI, com 21 delas sendo atendidas no Sistema Único de Saúde (SUS) e oito na rede privada.

O município tem 95 óbitos confirmados por coronavírus. O óbito que estava em investigação teve resultado negativo. Até o momento, em Rio Claro, 2.741 já se recuperaram da doença.

Rio Claro registra 21 novos casos de dengue

Município totaliza 1.059 casos da doença neste ano.

Vinte e um novos casos de dengue foram confirmados em Rio Claro nesta semana. Boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica do Município aponta 1.059 casos de dengue desde o início do ano e nenhum caso de zika vírus, chikungunya e febre amarela, doenças também transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

A Secretaria de Saúde reforça que os cuidados preventivos devem ser mantidos pela comunidade mesmo nesta época de tempo seco, já que qualquer quantidade de água é suficiente para a reprodução do mosquito transmissor. O apoio da população na eliminação dos criadouros é fundamental para evitar a dengue.

O Centro de Controle de Zoonoses realiza vistorias casa a casa e também em pontos estratégicos e imóveis especiais. Nos bairros em que há confirmação de casos é feita a nebulização.

Além do setor de saúde, o trabalho preventivo tem participação de vários setores da administração municipal. As secretarias de Obras e de Agricultura fazem limpezas periódicas de terrenos particulares e em áreas públicas onde moradores, de forma inadvertida, descartam entulho e lixo. Para colaborar na eliminação de criadouros os rio-clarenses contam com coleta de lixo domiciliar em todos os bairros, seis ecopontos, coleta seletiva de lixo e serviço mensal de cata bagulho.

Vacinação contra o sarampo terá Dia “D” em Rio Claro

Pessoas de seis meses a 49 anos devem procurar unidade de saúde para atualização de doses.

Rio Claro realiza na semana que vem o Dia “D” de vacinação contra o sarampo. Onze unidades de saúde estarão abertas no dia 22, um sábado, das 8 às 14 horas para atualizar a carteira de vacinação de quem procurar o atendimento.

O público alvo da campanha são pessoas de seis meses a 49 anos.  A vacina é aplicada em quem ainda não tomou as doses previstas no calendário vacinal, sendo que todos com idade entre 30 e 49 anos devem receber a dose de reforço.

Em Rio Claro, dentre as pessoas com idade entre seis meses e 29 anos, 2.201 pessoas procuraram as unidades de saúde, sendo que foi necessária a aplicação da vacina em 637 pessoas. Já entre as pessoas na faixa etária entre 30 e 49 anos foram aplicadas 1.461 doses.  

O atendimento de segunda a sexta-feira é realizado nas unidades de saúde da família e unidades básicas de saúde, das 8 às 15 horas. A vacina só não é aplicada nas unidades dos bairros Santa Elisa, Jardim Brasília e Vila Cristina.

No Dia D a vacina será aplicada nas unidades do Jardim Bela Vista, Jardim Boa Vista, Bonsucesso, Jardim das Palmeiras, Mãe Preta, Terra Nova, Jardim Novo, São Miguel, Bairro do Estadio (UBS 29), Wenzel e Cervezão.

A vacinação é segura e todos os cuidados preventivos ao coronavírus estão sendo adotados nas unidades de saúde.  

Conforme divulgação do governo estadual, as doses da vacina são aplicadas em pessoas com idade entre um e 29 anos que ainda não tomaram as duas doses previstas no calendário nacional de imunização. Os bebês com seis meses ou mais também devem receber a chamada “dose zero”, que não é contabilizada no calendário, mas é recomendada devido à circulação do vírus no território. É importante apresentar a carteira de vacinação. Todas as pessoas de 30 a 49 anos devem receber a dose de reforço da vacina, independente de terem tomado a vacina anteriormente. A campanha está programada para ser realizada até  o dia 31 de agosto.

Rio Claro tem 3.346 casos de coronavírus

São 84 internações, com 30 pessoas em UTI.

Boletim divulgado na quinta-feira (13) pela Secretaria de Saúde de Rio Claro aponta 55 novos casos de Covid-19 no município, totalizando 3.346 casos. Dos novos casos, nove estão hospitalizados e os demais em isolamento domiciliar.

O número de pacientes internados é 84, incluindo casos suspeitos, sendo 41 em leitos públicos e 43 em leitos particulares. Trinta pessoas estão em UTI, com 20 internações na rede pública e dez na rede privada.

O município mantém 95 óbitos confirmados e tem um em investigação. Até o momento, 2.680 pessoas se recuperaram da Covid-19 em Rio Claro.

Telemedicina sobre Covid-19 atende 200 pessoas por mês

Serviço gratuito orienta população pelo telefone 2111-6999.

A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Claro está fazendo um pedido para que a população passe a utilizar com maior intensidade os serviços médicos gratuitos do Tele Corona, telemedicina que tira dúvidas e acompanha o quadro clínico de pacientes em relação à Covid-19.

De segunda a sexta-feira, quatro médicos ficam à disposição das pessoas para este atendimento por telefone, que é muito esclarecedor e evita o deslocamento até uma unidade de saúde.  De acordo com a Secretaria de Saúde mais pessoas poderiam estar aproveitando este serviço, que é gratuito.

Pelo Tele Corona, a população tem acesso à orientação médica para sintomas de Covid-19 sem que precise sair de casa para a consulta. Basta ligar no 2111-6999. Por telefone, a pessoa relata sintomas e recebe ajuda sobre como proceder em relação ao atendimento ou tratamento. O serviço, realizado em parceria da prefeitura com a faculdade de Medicina do Centro Universitário Claretiano, atende de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas.

Com o crescimento do número de casos na pandemia, a procura pela telemedicina também cresceu, mas o número de interessados é considerado baixo pelo setor de saúde. A média mensal tem sido de cerca de 200 atendimentos por mês. Os números incluem os atendimentos de demanda espontânea e também ligações feitas pelos médicos para acompanhar o quadro clínico dos pacientes, já que além de auxiliar quem está com sintomas, o Tele Corona faz o acompanhamento dos pacientes para saber como cada caso está evoluindo.

A maior parte das pessoas que ligam para o serviço é para tirar dúvidas sobre como pessoas sintomáticas devem proceder. A partir do que é relatado por quem faz a ligação, o médico orienta sobre o que o paciente deve fazer e se é necessário procurar uma unidade de saúde ou mesmo uma unidade de pronto atendimento e muitas vezes será necessário apenas o isolamento. Isso não quer dizer que o paciente deixará de ser acompanhado, já que o próprio sistema do Tele Corona apontará a necessidade de fazer contato com o paciente após certo período, dando continuidade ao atendimento médico.

Outra demanda frequente atendida pelo Tele Corona parte de quem está com cadastro desatualizado nas unidades de saúde. São pessoas que aguardam o resultado de exames, porém que não são localizadas por meio do telefone de contato. Nestes casos a indicação é de que mantenham os cadastros nas unidades de saúde atualizados, especialmente os telefones para contato.

Rio Claro mantém serviço de prevenção e tratamento a hepatites virais

Testes para identificar a doença são realizados nas unidades de saúde.

O município de Rio Claro, por meio da Secretaria de Saúde, mantém trabalho de prevenção e tratamento à doença. O diagnóstico da hepatite é realizado a partir de exame e a porta de entrada para os atendimentos são as unidades da rede de atenção básica. O teste rápido para hepatite é realizado em todas as unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família do município.

O diagnóstico precoce das hepatites é um dos principais determinantes para evitar a transmissão e progressão da doença e suas consequências. A partir do teste rápido, o paciente com resultado positivo é encaminhado para o Serviço Especializado em Prevenção e Assistência para IST/Aids/Hepatites Virais (Sepa). São realizados novos exames e o paciente inicia o tratamento, que é totalmente gratuito.

Atualmente 44 pessoas estão em acompanhamento na unidade para tratamento de hepatite B e sete pacientes em acompanhamento para hepatite C. Neste ano foi registrado um novo caso de hepatite B e dez notificações de hepatite C.

As hepatites virais são inflamações no fígado causadas por vírus classificados pelas letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E. A hepatite A está diretamente relacionada às condições de saneamento básico e de higiene. É uma infecção leve e se cura sozinha. Quanto à hepatite B, ela atinge maior proporção de transmissão por via sexual e contato sanguíneo. A melhor forma de prevenção para a hepatite B é a vacina, associada ao uso do preservativo. Já a hepatite C tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. A hepatite D ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a hepatite B também protege de uma infecção com a hepatite D. A hepatite E é transmitida por via digestiva. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos os tipos de hepatite, independentemente do grau de lesão do fígado.

De acordo com cada tipo, as hepatites virais podem ser transmitidas pelo contágio fecal-oral; pela relação sexual desprotegida; pelo contato com sangue contaminado, através do compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos perfuro-cortantes; da mãe para o filho durante a gravidez (transmissão vertical), e por meio de transfusão de sangue ou hemoderivados.

Saúde aborda em vídeos importância do aleitamento materno

Todo conteúdo pode ser acessado via internet.

Em alusão ao Agosto Dourado, Rio Claro tem conteúdo on-line para incentivar e esclarecer dúvidas sobre o aleitamento materno. O material já está disponível e pode ser acessado no link bit.ly/SMAMRC2020.

A programação diversificada foi dividida em sete vídeos que abordam diferentes assuntos, todos relacionados à amamentação. No primeiro vídeo a dentista Rute Jorge fala sobre amamentação em tempos de Covid-19. O segundo vídeo orienta sobre como desengasgar o bebê, em que o enfermeiro Carlos Bonato ensina os procedimentos de primeiros socorros. O papel da fonoaudiologia na amamentação é o tema do terceiro vídeo, realizado pela fonoaudióloga Ana Elisa Gouveia. Os direitos trabalhistas durante a amamentação são abordados por Cristina Zaia, diretora de recursos humanos da Secretaria de Saúde. A enfermeira Fabiana Mota fala no quinto vídeo sobre mitos e verdades na amamentação. O tema do sexto vídeo é “Promovendo o aleitamento materno – reflexões holísticas”, em aula ministrada por Mônica do Carmo, coordenadora de Nutrição do Centro Universitário Claretiano. Já Maria Aparecida Marin Morales, docente do Instituto de Biociências da Unesp, fala sobre amamentação e planeta sustentável, tema do sétimo vídeo.

O conteúdo também inclui exposição fotográfica de obras de arte relacionadas à amamentação e também relatos de mães, que compartilham suas experiências e falam sobre como foi amamentar. Na página também serão disponibilizados desenhos que poderão ser impressos para as crianças colorirem.

A 22ª Semana do Aleitamento Materno é realizada pela prefeitura de Rio Claro, por intermédio das secretarias de Saúde, Desenvolvimento Social e Cultura e também Fundo Social de Solidariedade, além da Câmara Municipal. O apoio é do Claretiano.

Rio Claro vacina contra o sarampo

Pessoas de seis meses a 49 anos devem procurar unidade de saúde para atualização de doses.

A segunda etapa da campanha de vacinação contra o sarampo prossegue em Rio Claro. Pessoas de seis meses a 49 anos devem comparecer a uma unidade de saúde para atualizar a carteirinha de vacinação. A dose da vacina é aplicada em quem ainda não tomou as doses previstas no calendário vacinal, sendo que todos com idade entre 30 e 49 anos devem receber a dose de reforço.

Em Rio Claro, dentre as pessoas com idade entre seis meses e 29 anos, 1.861 pessoas procuraram as unidades de saúde, sendo que foi necessária a aplicação da vacina em 510 pessoas. Já entre as pessoas na faixa etária entre 30 e 49 anos foram aplicadas 1.283 doses.  

O atendimento é feito de segunda a sexta-feira nas unidades de saúde da família e unidades básicas de saúde, das 8 às 15 horas. A vacina só não é aplicada nas unidades dos bairros Santa Elisa, Jardim Brasília e Vila Cristina.

Conforme divulgação do governo estadual, as doses da vacina são aplicadas em pessoas com idade entre um e 29 anos que ainda não tomaram as duas doses previstas no calendário nacional de imunização. Os bebês com seis meses ou mais também devem receber a chamada “dose zero”, que não é contabilizada no calendário, mas é recomendada devido à circulação do vírus no território. É importante apresentar a carteira de vacinação.

Todas as pessoas de 30 a 49 anos devem receber a dose de reforço da vacina, independente de terem tomado a vacina anteriormente. A campanha está programada para ser realizada até  o dia 31 de agosto.